Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2008

30 segundos...

... para analisar o subtítulo que me chamou a atenção logo agora, três meses depois.

"Frases desconexas em busca de sentido"

Em busca de sentido?
Pra que sentido se até hoje não penso sobre este assunto?

Deve ser porque preciso dele pra tentar seguir em frente, ou dar passos maiores.
Enquanto isso as palavras tentam deixar claro o que não está tão nítido ao meu ver.

Pathetic

Buenas crianças

A falta do que fazer nos leva a fazer coisas totalmente dispensáveis.
Aliás, não é a falta do que fazer e sim o desvio do que realmente se tem que fazer.

Sabe, queria saber o que o destino me reserva.
As vezes tenho umas impressões que, sei lá...
E como eu penso demais meio que tento prever possíveis reações, apesar que não adianta nada pensar e tentar prever porque nunca as coisas são como a gente imagina.

Acredito que tenho vivido de extremos.

E minha sorte é que, apesar das diversas neuroses, eu sou uma pessoa mega paciente.
Buenas crianças

Tenho dormido pouco, mesmo acordando já pensando no momento em que irei dormir.
Agora, por exemplo... poderia estar dormindo há horas. mas a vontade de desenvolver um projeto é maior que o sono.
E hoje não é o primeiro dia em que esta vontade dribla o cansaço.
Só mais cinco minutinhos.
E que meu organismo entenda e reaja com carinho... se possível não reaja.

Meio dia

Buenas crianças

Agora eu já tenho meu grande momento de sabedoria. Segunda manhã que eu escrevo nas minhas primeiras horas do dia. Mas devo poupar minha criativdade, já que preciso escrever hoje, sem falta, 5 capítulos do tcc.
Mas isso nunca foi, nem pretende ser um diário. Então por que estou falando do que eu tenho ou não que fazer?
A sim... por que eu estava falando em criatividade... que não poderia usar muito dela para escrever aqui.

E o dia se fez dia
um meio dia
não que o relógio marcasse 12 horas,
mas tudo parecia um meio dia porque o sol não veio raiar.
Como deve se sentir o dia nublado?
Pior ainda... como deve se sentir o chuvoso?
Certo que os dias de chuva gostam de mim, pois sabem que é recípocro.
Já o nublado. Quem gosta de dia nublado? Principalmente no verão.
Ninguém nem considera dias nublados.
Para a maioria é apenas um dia perdido.
Deve ser por isso que ele seria um meio dia.

As tais interpretações

Poderia ter falado sobre meu próximo pensamento na postagem anterior. Mas sabem como é! A cabeça está franca, o raciocínio está lento e eu acabei esquecendo.
É que uma coisa que me incomoda um pouco é convrsar com pessoas muito inteligentes e que entende de diversos departamentos.
Me incomoda porque você tem que estar atenta com o que está falando porque o ouvinte poderá interpretar tim tim por tim tim o que você disse. E o pior, poderá interpretar de diversas maneiras, cada uma delas de acordo com um pensamento científico ou filosófico.`
Agora imagine eu, a pobre coitada com complexo de Seth Cohen, que tem como mania vomitar palavras?

I'ts really hard!

Ai que vergonha!

Por pensar demais sempre reparo que faço muitas coisas das quais me arrependo depois.
Principalmente quanto ao falar. Porque eu falo sem pensar, ou melhor vomito minhas idéias, ou melhor ainda, tenho minha mania de Seth Cohen de falar cada vez mais quando estou nervosa e acabo falando tudo que vem a mente. Mas, na hora da calmaria, acabo remoendo estas minhas frases idiotas e morrendo de vergonha.
Mas, como eu penso demais, também tenho tempo de parar e lembrar das attudes dos outros. E sinto uma vergonha alheia que me faz até mal.
Foi quando me surgiu a questão: o que é pior? Sentir vergonha de seus próprios atos ou sentir vergonha pelos outros?
A briga é bem acirrada. Mas a resposta é mais que óbvia para mim.
Sentir vergonha do que faço é bem pior, pois vergonha alheia já é departamento de outra pessoa e, como sempre digo, cada um faz de sua vida o que bem entende.
Certo?

pensamentos no ar

Buenas crianças

Como sempre cansada.
Mas como já disse (mas não neste meu humilde espaço), acredito que quando nasci eu não chorei, mas sim bocejei.
Acho que o sono que eu sinto não é normal.

Penso que também não são normais minhas tonturas, cólias, batimentos incertos do coração e principalmente meu strees e mal humor.
Esqueci de citar do meu pessimismo torturante.
E da tpm arrasadora.

Mas mesmo assim consigo ser uma "boa" pessoa.
Que tenta ser boa em tudo o que faz.
Digo tenta porque este ser que vos fala tem plena consciência de que ninguém é perfeito. E não seria eu uma excessão, é claro.

Até que os domingos não são mais aquele bicho de sete cabeças pra mim.
Deve ser porque penso em praia e jack johnson em uma tarde ensolarada e cheia de vento de um inverno próximo.