Postagens

Mostrando postagens de Março, 2010

passeio

O conceito de tempo, meses, dias, anos, horas, minutos, segundos, milésimos e todos os etc’s posteriores acabam embaralhando pensamentos que fogem de qualquer resultado real.

Os sonhos dos olhos fechados acabam se embaralhando com os pensamentos dos olhos mais que abertos, daquele que caminha, corre e se joga nos desafios do dia a dia, da história supostamente sem fim com um the end já escrito há muito tempo.

Sempre o fluxo incoerente de idéias que, apesar de toda a fantasia, alegria, melancolia, acaba tendo um que de verdade, realidade, notoriedade.

Confesso que as vezes existe a busca de soluções, caminhos, rumos.. não nego que a viagem no mundo da falta de sentido me enche os olhos e a cabeça de novas invenções que podem parecer bobagem para a grande maioria das pessoas, mas que aqui são apenas matéria prima.

Coisa boa, de primeira.... buscando forma, sentido, cor... aquela “emperiquitada” que dependerá do humor de cada dia, da criatividade que misteriosamente surge, da vontade que m…

Saudade

Saudade não é um prato que se come quente
muito menos frio.
Não se saboreia, degusta, devora.
É um prato vazio.
Cheio de pensamentos, sentimentos...
A imaginação que o completa de lembranças e desejos.
E sempre acabamos sendo obrigados a ingerir.
Passamos uma eternidade tentando digerir.
No final o garçom traz a conta e, quem sabe, a sobremesa.
A minha com chocolate, a dele com sorvete.
E sempre sobra um espacinho vazio, já pensando na próxima refeição...
... no próximo prato, supostamente recheado de saudade.

no escuro

Mais uma vez me vi ali.
Parada, em pé, no escuro.
No escuro onde ninguém me vê.
E onde vejo tudo um pouco mais claro.
Seria culpa dos raios desta noite chuvosa?
Nesta história não existe culpado, nem tente procurar.
Pensando, olhando pela janela.
As luzes, poucos carros, muitas estrelas e apenas uma lua.
Possibilidades, recordações, sonhos e...
Fatos concretos que não cabem na palma da mão.
È bom estar ali de novo e ter a certeza de que tudo será diferente.

zzzZZZzzz

Passei por uma grande tempestade e o que eu mais queria era dormir.
Dormir profundamente, um tal sono que durasse horas, mas que não tivesse nenhuma relação com a morte, o coma ou qualquer coisa assim.
Dormir como quando colocamos em estado de espera, para quem sabe, algo novo e empolgante me esperasse ao despertar.

E agora?
Ainda queria dormir, principalmente neste exato momento em que os olhos estão pesados, ardendo... cheios de areia imaginária.
O sono não seria uma válvula de escape, mas serviria como um ótimo benefício.

Preciso?
Dos minutos que antecedem o sono,
Dos pensamentos que são bem mais que sonhos;
A felicidade que não é instantânea e...
Aí sim, simplesmente dormir!
Após algumas horas o despertar, os pensamentos retornam, a vida continua e começa a nova espera para o próximo ritual do sono.

Quebra cabeça

Há tempos está aqui na minha cabeça, mas por algum motivo dali não saiu.
Esta vida.
Este quebra cabeça.
Estas peças aí jogadas no carpete um tanto quanto antigo.
Continuam ali.
Paradas.
Estáticas.
Esperam o momento certo.
O jogador certo.
O encaixe certo.
Enquanto isso muitos passam, alguns olham, poucos tentam.
Mas do que falas?
O jogo que é a vida?
Ou o jogo que é você?

No sofá

A vida segue num ritmo frenético e assustador: traição, óbito, remédios, receitas, consertos, velha e triste realidade, nascimentos, crescimentos, invenções, velhos erros e por aí vai.

Enquanto isso o mendigo dança ao som de The Rapture... cada um se sacode como pode.

Eu fico, assisto, penso, concluo e tudo continua a mesma coisa.

Tudo? Sem generalizações. Sejamos realistas. Já faz algum tempo que as coisas deixaram de ser tão iguais.

Seguimos como se fosse a mais nova temporada daquele seriado que te prende a atenção.

Continue apostando na fórmula.

"Só tô dando uma olhadinha"

Sim, eu confesso! Não consigo simplesmente passar por aqui para ler algum texto antigo sem despejar alguma dose de confusão mental, distúrbio literário, crítica social ou observação cultural.
É preciso não só dar vazão aos sentimentos, mas as palavras... tentando traduzir o pensar.
Então é isso. Espero lembrar mais vezes do espaço de tentativa, treinamento, psicologia gratuíta sem culpa, receio ou hora marcada.