Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

isso está longe de ser auto ajuda

Juro que eu não entendo como funciona esta história de dons. Simplesmente nascer com tamanha facilidade para executar certas atividades, fugindo da normalidade e de certa forma se surpreendendo com tal fato.

Eu por exemplo fico assustada quando paro para escrever. E não existe aquele problema “não escrevo sob pressão”, muito pelo contrário. As palavras aparecem e o texto flui com a maior tranqüilidade, assim como respirar, sabe? Em cinco minutos faço dissertações, fecho idéias de roteiros, esboço pensamentos... simples assim.

Isso não significa que escrevo magnificamente bem. Sei que estou longe de qualquer escritor iniciante, mas... estou anos luz de muito cidadão comum por aí.

Qual o segredo? Ler bastante, escrever bastante... principalmente aqueles pensamentos bobos que com um pouco de ingredientes acabam se tornando algo concreto e firme.

Acho que o mais importante é abraçar suas idéias e levá-las até o fim. Para isso argumente. Por mais incoerente que possa parecer aos olhos do leito…

Aqui as esqueço

Hoje eu queria transformar em palavras toda a angústia que deixou meu coração apertado pela manhã.

Todo nervosismo de um erro besta, cometido mais uma vez.

Toda ansiedade da espera de uma resposta que devido ao atraso não chegou.

Toda vontade que devido a preguiça simplesmente se espatifou.

Todo mofo de lembranças antigas que com seu cheiro mais que passado trouxe não só alergia, mas o pensamento, que mesmo discretamente, simplesmente veio e tocou.

De certa forma fez arranhões, feriu e magoou.

Mas no final das contas nada disso fará meu sono chegar e o novo dia raiar.

Então, basta deixar aqui as tais palavras com recheio de angústia e um vinte cinco avos de tristeza e que por aqui fiquem!

Au revoir!

Ser x Estar

A diferença do ser e do estar parece meio óbvia e dispensar comentários, mas resolvi refletir um pouco sobre, mesmo concluindo algo que eu já sabia.

Começamos pelo estar que nada mais é que algo... passageiro? Hoje posso estar feliz com a chuva que cai, o ar puro que respiro ou a nota de cem que achei no chão. Amanhã posso estar tossindo, com a calça rasgada, ou uma pinta na testa. Mês que vem posso estar longe, na esquina ou logo ali. Resposta correta. Muito bem pensado!

E o ser? Nada mais é que algo permanente. Eu sou uma pessoa feliz, mesmo que hoje algo me deixe triste. Eu sou responsável, mesmo que tenha cometido algum erro bobo. Eu sou a mosca que pousou na sua sopa, mesmo que hoje eu pareça apenas um pequeno personagem inserida na letra de uma música.

Se é certo ou errado Who knows? Para mim faz sentido e já basta.

Obs: Quando o estou apaixonado deu lugar ao sou apaixonado, mesmo que inconscientemente, as coisas mudaram mais uma vez de figura... pra melhor.

Acho...

Acho que me tornei uma pessoa previsível. Devo ser apenas mais uma daquelas que com um simples respiro consegue revelar que está com problemas ou esperando por eles, pois o contrário parece utopia.

Acho que deve ser mais fácil ser apenas mais um velho ingrediente da massa que ser a tal invenção. O novo toque final que dá gosto diferente ao caldo. A suposta surpresa no paladar que deixa o tal gosto de quero mais. Parece que não nasci para tal.

Acho que por mais que as coisas fluam sempre existirão os conflitos como em um bom roteiro de drama. Acho que a vida é um filme de vários gêneros, mas quero passar longe das Guerras e do Policial.

Acho que finalmente sei o que eu quero, mas no fundo não sei se posso querer. Talvez por medo de querer e não poder ter, como aquela criança humilde que cisma em namorar as bonecas caras nas vitrines. Como quem sonha um dia ir a Lua e na viagem acenar para a Terra que se distancia. Como aquele tal garoto que sempre quis sonhar, mas nunca sequer pode dormir…

that four letter word...

... just waiting for the right time.

3 meses!

Quem acompanha meus posts em blogs, fotologs, twitter ou qualquer outra ferramenta sabe que nunca fui de falar de garotos ou relacionamentos. Nunca disse que era uma regra, mas chegou a hora da exceção.

Há exatos 3 meses neste exato momento eu ainda não tinha noção do papel que uma pessoa que eu conhecera há algumas horas iria exercer na minha vida.

Não achava que aquele garoto sem muitas palavras iria querer dedicar tempo algum a garota que esbanjava expressões desconhecidas, parecendo até filha de outra civilização.

Confesso que pensei que não duraria tanto tempo, mesmo porque eu nem era tão levada a sério. Porém, preciso me contradizer: eu não era levada a sério, mas ao completar um mês ele que sugeriu a comemoração das bodas. E assim nasceu o hábito de comemorar cada mês “juntos”. Mesmo assim não pensei que em poucos meses ele tomaria conta dos meus pensamentos, antecederia meu sono, roubaria meu coração.

Mas agora penso: difícil seria não me apaixonar por você, um garoto tão cheio …