Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2010

Please, help me Jesus!

Eu tenho absoluta certeza que quando eu encostar a minha cabeça no travesseiro centenas de idéias e pensamentos irão me confundir e atormentar, assim como há algumas horas atrás.

Então tentarei todas as modalidades, bons fluídos, contar carneirinhos, imaginar um panda... mas nada disso funcionará.

Depois de muita luta cogitarei a idéia de pegar um papel e uma caneta ou até mesmo ligar o note para desabafar... transformar a frustração em algo proveitoso, escrever algo sem sentido... mas é claro que a preguiça vencerá.

Voltarei aos mesmos pensamentos, agora com uma grande pitada de ira. Sono que não vem, fantasmas que assombram e de certa forma irritam.

E é sempre assim. Todo santo mês eu simplesmente fico com uma grande vontade de sumir... por que será?

Difícil lidar. Difícil pensar. Difícil esquecer que o botão off ainda não foi inventado.

Falando sobre o nada, parece que é sempre assim: quem tem a ótima e melhor idéia nunca é recompensado... já os outros com pensamentos e cabeças pequenas.…

Poker face

As palavras podem até esconder.

Mas os olhos?

Estes não conseguem enganar!

Nunca.

estante

Muitas vezes me sinto como uma personagem de um daqueles livros que poucas pessoas terão o prazer de descobrir e embarcar nas aventuras de uma viagem surreal.

E sinto que muitos dos meus diálogos estão escritos neste livro.

E quando falo parece que são apenas falas decoradas por uma atriz de quinta categoria que tenta a vida em um famoso palco da metrópole.

Se você descobrir em qual livraria encontro este livro, o nome do autor ou do título, peço que me avise por favor.

E se por acaso encontrá-lo em uma estante empoeirado peço que roube-o, pois a recompensa foge do imaginário.

deixando a preguiça de lado...

Se eu tivesse colocado aquelas idéias no velho caderno agora teria uma grande história para contar.

Se as palavras não tivessem rejeitado aquela folha amarelada com o tempo, certamente tudo aquilo que um dia me passou pela cabeça seria hoje um belo enredo de cinema.

Cinema não... talvez tenha virado coisa do passado ou luxo de poucos. Teria virado um hit da Internet.

Milhares de acessos, centenas de depoimentos demonstrando carinho, asco, indignação ou identificação... mas certamente despertariam algo em vários “alguens”.

Porém, de que adianta lamentar se tudo aquilo não voltará do buraco negro do alem? O jeito é sentar na sombra do coqueiro mais próximo e encontrar em algum lugar perdido novos tesouros, novas fontes do saber!

Fotografias

Hoje esqueci dos meus planos, talvez porque você me fez esquecer.
Então enfrentei o dia, enfrentei o frio, enfrentei todas as chatices das pessoas...
Enfrentei meu mau humor matinal e todo aquele drama muitas vezes sem sentido.
Mas nada disso importa.

Sei que deixei as cores de lado, aquelas dos vidrinhos de esmaltes... e me encontrei vendo as cores dos sorrisos nada amarelos de muitas fotos antigas.

Saudades de um tempo que na verdade nem me recordo.
Quando eu era criança, quando meu pai tinha a linda Brasília branca, quando eu me isolava em Minas, quando eu era gorda e feia, quando eu era magra e estudava muito, quando eu não tinha medo de ser apenas uma perdedora neste mundo.
Mas... como sentir saudades de algo que eu realmente não lembro?

Chega a ser estranho ver centenas de fotos e não lembrar nem de segundos daquele momento registrado.
Sei que isso não é normal. Sei que meus pensamentos e idéias não são normais... mas quem se importa?
Calma, nada de drama. Apenas matutando.
Encontrei um s…

five months

Mais de cinco meses e eu não posso, não quero e não sei mais viver sem meu cocotinho!

S2 Celo