Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2010

Contas

Então foi em uma noite que o sol saiu e tudo se tornou mais claro.
Ok, confesso: o sol não saiu e não vi nada tão claramente assim.
Na verdade construi uma infinidade de possibilidades, desenhei outros diversos rascunhos de sonhos e mais uma vez subi naquele tapete que flutua por aí no mundo alternativo dos pensamentos.

De repente tudo pareceu novo.
De repente tudo pareceu como antigamente.
De repente coisas ruins sumiram.
De repente certas mágoas voltaram.
De repente viu-se solução.
De repente o final feliz apareceu ali: tão perto, tão certo, tão... claro.

Mas era noite, recordam-se? Claridade só com o auxílio de luz.
Ligou-se o interruptor e deve ser por isso que o sono não veio.
Dias passando. Idéias indo e vindo...

No final das contas?
Acho que o destino existe, mas a gente que corre atrás dele.
E aquela série de coincidências realmente mexem com a gente.
E parece que isso será um círculo.
Espera-se que depois da alegria e do caos a alegria volte a reinar.
Quero papel, caneta e as contas e que no …

Hora de dormir

Pensamentos sempre viraram histórias ou algumas linhas que tentavam buscar algum sentido.
Mas a censura chegou para vetar todo e qualquer pensamento que...
Me cause alguma coisa que não consigo explicar, que não sei o que é e muito menos sei com o que parece.
Só sei que é motivo suficiente para não tornar nada público.
Resultado? Acabo guardando tudo e contribuindo para que a loucura bata logo na minha porta.
Ou melhor, eu baterei na porta e acabarei entrando no hospício, que é o fim mais que certo para esta minha pessoa e minha cabecinha oca e muito pensante.

Cena 1

Uma porta que bate.
Uma vida que nasce.
Uma lágrima escorre.
Uma história é vivida.
Já outra é contada.
E uma transformação acontece.

Os sorrisos dão lugar a seriedade.
Um rosto que se fecha sem avisos
e assim permanece até que no novo se repare.
Quando?
Futuro distante.
Presente irritante, nervoso constante.
Simplesmente nada que encante.

Dias de fúria, dias de filme de ação.
Dias de vilã como personagem sem escrúpulos,
sem expectativas
sem coração.

Personagem não precisa mesmo que algo bata a cada segundo dentro de si.

Sou apenas uma criação do mundo que espera não estragar tua película.

Tic Tac

fade out

Cena 2...

Pensando bem...

Não sei por que gastar meu dinheiro com belos vestidos e sapatos se não tenho coragem de colocar os pés na calçada.

Não sei por que pensar em fazer planos ou arquitetar sonhos se no final nada acontece como a gente quer.

Não sei por que ser masoquista, continuar pensando e me machucando com tudo aquilo que já foi digerido.

Não sei por que dizer sempre as mesmas coisas, sempre sem concluir coisa alguma.

É justamente por não saber que continuo errando, me tortutando e esquecendo de abrir os olhos.

Amanhã é um novo dia. Lembre-se de que a vida não é teatro e você não atua como cega.

Tudo bem, faça da vida um filme, mas dê um novo começo logo... antes que a platéia vá embora e seja tarde demais.

Mas nunca é tarde demais.

Mentira. Não existe verdade absoluta. Todas as coisas existem... mesmo que sejam apenas na minha cabeça.

Julie e Julia

É muito bom passar algumas horinhas no conforto do sofá enrolada em um macio edredom, mesmo sabendo que lá fora todo um universo espera ser explorado por uma garota sem muita sede de vitória.

Que todos nós temos nossas dificuldades e problemas não é novidade, mas... investir nossa frustração em algo que gostamos de fazer é uma saída bem vista?

Pode ser uma fuga produtiva, mas acredito que no fundo o vazio sempre estará ali. Não é bom generalizar, mas acredito que nada consegue ocupar o espaço oco deixado pela derrota.

Felicidade instantânea. O fantasma sempre assombrará, seja no sonho ou no pensamento perdido de um fim de tarde.

Sejamos mais otimistas, mas não menos realistas.
Vivamos de sonhos e tentemos ser um pouco menos amargos.
Pense, escreva, reflita e aplique.

Falso eu

Cansa viver de sonhos, porque a vida não é assim tão doce.
Tem a dose certa de açúcar para adoçar sorrisos sinceros, mas não causar lágrimas diabéticas.

Cansa parar para pensar e ver que os dias passam e tudo continua ali.
Parado.
Estático.
Sem rumo.
No fuel.

Cansa pensar nas memórias, recordações.
Lembranças que deveriam ser apagadas como dados de um hd.
Será que um dia minha cabeça vai dar pau?
Se você meter nela aquela tora, aquele pau!

Que voem os minutos,
que os dias amanheçam e escureçam,
as semanas passem,
as folhas dos meses que acabam acabem no lixo.
Os anos terminem
E a vida?
Mistério pouco imprevisível.

Enquanto isso procura-se toda a verdade escondida em suas mentiras.